o TVZ do Barão!

8 07 2008

Bom, já que a Chiliquen… digo o Tony Garrido saiu da banda, (na verdade vai entender essa piada quem assiste rockgol) e eu estava lendo no blog da minha amiga Carlinha Araújo a “rainha das boas idéias parceiro” ;D artigos sobre música e o fim da Banda Los Hermanos decidi postar uma musica dessa banda que eu ouvia já faz um tempo!

Então, já que o Cidade Negra não será mais o mesmo sem a Chiliquenta, droga, de novo, é a força do hábito, sem o Tony Garrido. Não custa nada relembrarmos os velhos tempos, e põe velhos nisso!

Posso apostar que as pessoas da minha idade vão lembrar da primeira série xD

e da parte que só sabiamos cantar: “Amor q não se pede, amor que não se mede…”





Bobeirada de Domingo!

7 07 2008

Não sei pq mas lembrei de Turtleboy

Depois dessa, BOA NOITE E BOA SEMANA!





Poema

4 07 2008

Bom, após alguns meses de férias,o Blog do Barão VOLTOU \o/\o/\o/…Pelo menos eu acho né.
Pois bem, depois de assistir ao programa do Jô, este poema me chamou muito a atenção, e é claro que, as coisas que chamam a atenção dos blogueiros eles postam em seus blogs.

E pra galera que curte um poema, como meu grande amigo Genin do Blog dos Quarks e para a minha amiga Amanda do Gente Grande

Ver do minuto 0:45 ao 3:35 ;D

Apesar do tom de humor, achei MUITO interessante este poema, pois com exatidão o autor (Jessier Quirino) consegue nos mostrar toda aquela PAISAGEM DO INTERIOR!

Paisagem de interior – Poema de Jessier Quirino

Matuto no mêi da pista
menino chorando nu
rolo de fumo e beiju
colchão de palha listrado
um par de bêbo agarrado
preto véio rezador
jumento jipe e trator
lençol voando estendido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior.

Três moleque fedorento
morcegando um caminhão
chapéu de couro e gibão
bodega com surtimento
poeira no pé de vento
tabulêro de cocada
banguela dando risada
das prosa do cantador
buchuda sentindo dor
com o filho quase parido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior.

Bêbo lascando a canela
escorregando na fruta
num batente, uma matuta
areando uma panela
cachorro numa cadela
se livrando das pedrada
ciscador corda e enxada
na mão do agricultor
no jardim, um beija-flor
num pé de planta florido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior.

Mastruz e erva-cidreira
debaixo dum jatobá
menino querendo olhar
as calça da lavadeira
um chiado de porteira
um fole de oito baixo
pitomba boa no cacho
um canário cantador
caminhão de eleitor
com os voto tudo vendido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior.

Um motorista cangueiro
um jipe chêi de batata
um balai de alpercata
porca gorda no chiqueiro
um camelô trambiqueiro
avelós e lagartixa
bode véio de barbicha
bisaco de caçador
um vaqueiro aboiador
bodegueiro adormecido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior.

Meninas na cirandinha
um pula corda e um toca
varredeira na fofoca
uma saca de farinha
cacarejo de galinha
novena no mês de maio
vira-lata e papagaio
carroça de amolador
fachada de toda cor
um bruguelim desnutrido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior.

Uma jumenta viçando
jumento correndo atrás
um candeeiro de gás
véi na cadeira bufando
radio de pilha tocando
um choriço, um manguzá
um galho de trapiá
carregado de fulô
fogareiro abanador
um matador destemido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior.

Um soldador de panela
debaixo da gameleira
sovaqueira, balinheira
uma maleta amarela
rapariga na janela
casa de taipa e latada
nuvilha dando mijada
na calçada do doutor
toalha no aquarador
um terreiro bem varrido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior.

Um forró de pé de serra
fogueira milho e balão
um tum-tum-tum de pilão
um cabritinho que berra
uma manteiga da terra
zoada no mêi da feira
facada na gafieira
matuto respeitador
padre, prefeito e doutor
os home mais entendido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior.